EPISCOPADO BRASILEIRO INICIA ASSEMBLEIA GERAL COM A PRESENÇA DO CARDEAL PIETRO PAROLIN, SECRETÁRIO DE ESTADO DO VATICANO

Com a acolhida da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, o episcopado brasileiro iniciou, na manhã de hoje, dia 10, a 61ª edição da Assembleia Geral (AG) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

“Que nós, bispos, escutemos tudo o que Jesus nos disser!”, ressaltou o arcebispo de Goiânia (GO) e primeiro vice-presidente da CNBB, dom João Justino de Medeiros Silva, ao saudar seus irmãos no episcopado e a imagem da padroeira do Brasil, pedindo a intercessão de Nossa Senhora para os trabalhos da Assembleia.

Reunidos no Centro de Eventos Pe. Vítor Coelho de Almeida, no Santuário Nacional, em Aparecida (SP), após a celebração da Missa, os bispos começaram oficialmente a 61ª AG que segue até o dia 19 de abril.

Peregrinos acolhidos na Casa da Mãe

Ao indicar que os critérios evangélicos orientarão os bispos na reflexão e renovação das estruturas pastorais no favorecimento da evangelização em todo o país, durante os dias de Assembleia, o arcebispo de Porto Alegre (RS) e presidente da CNBB, dom Jaime Spengler, desejou: “como peregrinos da esperança, em espírito de comunhão e participação, queremos traçar indicações que correspondam os desafios do tempo presente. Bom trabalho! Bem-vindos”, finalizou.

“A Casa é nossa porque é o lar da padroeira do Brasil”, afirmou dom Orlando Brandes, arcebispo anfitrião, ao acolher o episcopado e as equipes de trabalhos da AG: “façamos uma experiência de amizade social e de peregrinos, somos todos irmãos e irmãs junto à Mãe Aparecida”.

Em fala, o núncio apostólico do Brasil, dom Giambattista Diquattro, relatou que a Assembleia é sempre uma “escola privilegiada da ação do Espírito Santo”, e completou: “o episcopado brasileiro trabalha com ardor e empenho determinado para que o Evangelho seja conhecido, amado e vivido” no território brasileiro.

A partir da tarde de hoje, os bispos participarão de retiro espiritual que terá o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, como pregador. Na abertura da AG, o cardeal recordou “os diálogos proveitosos” com o episcopado brasileiro durante as visitas Ad Limina Apostolorum (aos túmulos dos Apóstolos) do Brasil à Roma, que ocorreram nos últimos anos. “Agradeço com simplicidade e, com simplicidade, queremos escutar a voz do Espírito que fala em nós”, concluiu.

O bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário-geral da CNBB, dom Ricardo Hoepers,  apresentou a dinâmica da Assembleia, parabenizou os bispos aniversariantes, acolheu o episcopado de recente nomeação e prestou homenagem aos bispos falecidos desde a última AG, recordando, de modo especial, dom Geraldo Lyrio Rocha, arcebispo emérito de Mariana (MG), que atuou fortemente em prol da comunhão eclesial.

Colaboração padre Tiago Barbosa (Sul 1) texto e Victória Holzbach (Regional Sul) | Comunicação da 61ª AG CNBB

Fonte CNBB Nacional