Relatório sobre Atendimento às Pessoas Indígenas Presas na Penitenciária de Dourados é publicado, com a participação da Pastoral Carcerária Regional

Um importante relatório sobre o Mutirão de Atendimento às pessoas indígenas presas na Penitenciária Estadual de Dourados foi publicado, trazendo à tona questões fundamentais sobre o contexto de encarceramento dessas pessoas. Realizado em julho de 2023, o mutirão contou com a participação de diversas instituições, incluindo a Defensoria Pública da União, Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul, Pastoral Carcerária, Instituto das Irmãs da Santa Cruz e Conselho Indigenista Missionário.

Além de oferecer suporte espiritual e emocional, a Pastoral Carcerária desempenhou um papel fundamental no mutirão, proporcionando assistência religiosa e promovendo a escuta ativa das pessoas indígenas privadas de liberdade. Sua presença contribuiu para a humanização do atendimento e para o acolhimento das demandas individuais de cada pessoa atendida.

O relatório destaca a importância de respeitar as especificidades culturais e jurídicas das pessoas indígenas encarceradas, enfatizando a necessidade de uma abordagem holística que contemple não apenas as questões legais, mas também as dimensões espirituais e emocionais dos indivíduos.

As conclusões e recomendações apresentadas no relatório refletem o compromisso das instituições envolvidas em promover um atendimento mais justo e digno às pessoas indígenas no sistema prisional, reconhecendo a importância do apoio espiritual e emocional no processo de ressocialização e reintegração desses indivíduos na sociedade.

Este relatório representa um marco na busca por uma justiça mais inclusiva e sensível às necessidades das pessoas indígenas em situação de encarceramento, demonstrando a importância do trabalho conjunto entre diferentes atores sociais para garantir o respeito aos direitos humanos e a promoção da igualdade para todos.

 

INTEGRA DO RELATÓRIO DISPONÍVEL ABAIXO